19/09/09

The painted veil

"Baseado no romance clássico de Somerset Maugham, O Véu Pintado é uma história de amor passada nos anos 20 que nos conta a história de um jovem casal britânico, Walter, um medico da classe media e Kitty, uma mulher da alta sociedade, que casam pelas razões erradas e se mudam para Xangai, onde ela se apaixona por um outro homem. Quando Walter descobre que a mulher lhe é infiel, aceita num acto de vingança um lugar numa aldeia remota da China, devastada por uma mortífera epidemia, e leva-a consigo. A sua viagem traz um novo significado à sua relação e à sua essência, num dos mais belos e remotos lugares ao cimo da Terra. O Véu Pintado é interpretado por Naomi Watts (King Kong), Edward Norton (O Ilusionista), Liev Schreiber (O Génio do Mal) e Toby Jones (o Truman Capote de Infame). Um filme escrito por Ron Nyswaner (Filadélfia) e realizado por John Curran (Desencontros)" in Cinestrei

"Painted veil" poderia ser somente uma história de amor, mas na realidade é mais do que isso. É uma triste história de amor, profundamente triste...
Um filme intenso e profundamente belo, que retrata a distância afectiva entre um jovem casal britânico, o silêncio que a caracteriza e uma traição que irá marcar de forma surpreendente e cruel o resto das suas vidas.
Fala-nos da descoberta da verdadeira essência do amor...dos sacrificios, da partilha e da descoberta de um amor verdadeiramente puro.
Excelente fotografia, com paisagens magnificas do Sul da China, assim como uma extraordinária banda sonora.

Trailer




Excerto da banda sonora: La Claire de la Lune

07/09/09

Los abrazos rotos





Um homem escreve, vive e ama na escuridão. Catorze anos antes, foi vítima de um brutal choque automóvel, na ilha de Lanzarote. No acidente, não só perdeu a vista como também Lena, o amor da sua vida. Este homem usa dois nomes: Harry Caine, um pseudónimo com que assina os seus trabalhos literários, histórias e argumentos para cinema, e Mateo Blanco, o seu verdadeiro nome, com o qual vive e assina os filmes que dirige. Depois do acidente, Mateo Blanco reduz-se a si próprio ao seu pseudónimo, Harry Caine. Se não pode realizar mais filmes, só consegue sobreviver com a ideia de que Mateo Blanco morreu em Lanzarote com a sua amada Lena. Nos dias de hoje, Harry Caine vive graças aos argumentos que escreve e à ajuda da fiel e antiga produtora, Judit García, e do filho desta, Diego, o seu secretário, escrivão e guia. Desde que decidiu viver e contar histórias, Harry é um cego activo e atraente, que desenvolveu todos os outros sentidos para melhor gozar a vida, na base da ironia e da amnésia selectiva. Ele apagou da sua biografia todos os traços da sua primeira identidade, Mateo Blanco. Uma noite, Diego tem um acidente e Harry toma conta dele, já que Judit está fora de Madrid e os dois decidem não a avisar, para não a alarmar. Durante as primeiras noites de convalescença, Diego pergunta-lhe pelo tempo em que respondia pelo nome de Mateo Blanco. Depois de um momento de surpresa Harry não consegue recusar e conta a Diego o que aconteceu catorze anos antes, da mesma forma que um pai conta a um filho uma história para adormecer.

O filme tem estreia marcada para Portugal dia 10 de Setembro. É já um dos vários filmes prestes a estrear que quero vêr.

Chamada de atenção tanto para o guarda-roupa Chanel (na íntegra) assim como para a banda sonora, da qual destaco Cat Power e a sua potente interpretação de Werewolf.

fonte: Sapo (cinema)